9 meses

Você esta oficialmente mais tempo fora da barriga do que ficou dentro 🙂

Meu Deus, como você esta grande, mal cabe no meu colo.

Não concordo com esse ritmo de crescimento, nasceu ontem e agora já esta quase andando, como pode?

Ainda estamos só nas frutas, o que foi bom pra todos aqui em casa, aprendemos a comer mais fruta. E você que no começo tentava mamar a papinha na ponta da colher, hoje come cada pedacinho mastigando bem que da gosto. Fizemos um vídeo de você comendo mamão junto com o Linux, assim que editarmos postamos.

No seu desaniversário desse mês nós esquecemos de tirar fotos, fiz um super bolo de cenoura (estava muito bom e super fofinho) que seu pai adorou e que daqui a pouco você irá provar, bem sem cobertura é claro.

Resuminho desses 9 meses:

– Você é um tagarela, é um tal de “dadadadada” pra cá e “dadadadadadada” pra lá, quando você esta chorando até solta um “mamã” ou um “papa”, mas nós não estamos apostando o que você dirá primeiro não, por mim você deveria ser imparcial e falar Linux, rs. Ah, o Cesar disse esses dias que você já fala Cesar.

– Engatinha como se tivesse nascido fazendo isso, é super rápido e não importa o terreno, pode ser até concreto que pra você está tudo certo.

– Se levantar apoiado também é super tranquilo, mas agora você criou uma mania de ficar agarrado na minha perna quando estou cozinhando ou lavando louça, mal consigo me mexer, mas isso é as vezes, na maior parte do tempo fica por perto brincando com alguma tampa de plástico ou coisa assim.

– Brinca com o Linux, e como me da gosto em ver isso. Você praticamente chama ele pra brincar, fico de olho, mas vocês se dão tão bem. É claro que você já levou umas unhadas no braço, mordidinhas na perna, mas nada de mais, ele tem um cuidado com você como nunca teve com a gente.

– Ficar em pé sem apoio é uma atividade que você vem aprimorando nos último dias, você se apoia na minha perna e solta as mãos e da aquele sorriso,  nós fazemos de tudo nessa hora, sorrimos, batemos palmas, damos gritinhos de felicidade e você fica ainda mais empolgado pra continuar, já consegue se manter no ar por uns 30 segundos, uma graça.

– Esta aprendendo a dar tchau, isso é coisa do seu pai, ele é que esta te ensinando a fazer isso, esta quase.

– Eu ensino a imitar indinhos, hehehehehe, coloco a mão na minha boca fico batendo e faço uauauauau, e depois coloco a mão na sua boca e você faz uauauauauau, super divertido.

Uma coisa é certa você é muito esperto e lindo, estamos cada vez mais orgulhosos.

Anúncios

Banhinho é bom

Banho em bebês e crianças, pra mim, era sinonimo de choro e desespero.

Pelo menos era a experiência que tive, na minha família não tinha crianças pequenas pra eu conviver diariamente, só nos últimos anos é que as crianças começaram a aparecer. Nunca havia pego um bebê no colo, pelo menos, não um com menos de 1 ano; quando meu primeiro sobrinho nasceu (à 4 anos) só brincava com ele deitado na cama, pegar no colo mesmo só depois dos 3 meses, mas nunca acompanhei banhos.

Já com o segundo, com dois anos hoje, as coisas foram bem diferentes, fui a primeira a pega-lo no colo ainda na maternidade, ajudei nas primeiras semanas fazendo de tudo, como sempre digo estava fazendo um estágio e nem sabia, cheguei a dar banhos nele mas sempre foram a base de muito choro e ainda hoje é assim.

Quando o Yuri nasceu, ainda na maternidade, dei seu primeiro banho, e como o menino chorou, nos dias que se seguiram não foi diferente, em casa a mesma coisa, choro, choro, e mais choro. Todo mundo dizia que é assim mesmo, as vezes acostuma e para de chorar, as vezes não. Tanto pra mim, como para o pai dele, banho é algo prazeroso; eu passava um bom tempo no chuveiro durante a gravidez só deixando a água cair na barriga, queria que ele curtisse esse momento tanto quanto nós.

Possivelmente o banho de balde ajudasse nisso, mas ele era tão pequenino e estava tão friu que não tivemos coragem, além do mais nunca concordei com banhos rápidos em bebês e devido ao clima não tinha como ser diferente. Já havia lido e ouvido que algumas pessoas davam banho no chuveiro, com o serzinho no colo, naquele momento valia tudo pra ele relaxar mais.

Levei ele pro pai durante seu banho, ele ainda cabia apoiado no antebraço do Caio, que o colocou em baixo da água e… nada de choro, mal dava pra acreditar ele curtiu na hora, no fim do banho o Caio me chamou, peguei, sequei e dei mama, nos dias seguintes fizemos o mesmo processo, pra ter certeza que não era sorte de principiante, e confirmamos que o negócio tinha dado certo. Tomei coragem e passei a dar banhos assim também, dava um medinho de escorregar, passamos a revezar. concluímos que ele se sente mais acolhido, menos inseguro e relaxa.

Quando o Caio não esta em casa e ele precisa tomar banho (por que se sujou muito), dou na banheira mesmo, mas hoje ele curte tanto o banho que não chora mais, pode ser no colo, na banheira, na bacia, onde for. Com o passar do tempo descobrimos que o melhor horário é a noite, entre 22 e 23 horas, toma seu banho, mama e dorme, se necessário toma outro durante o dia.

Por isso recomendo, não quer que seu filho fique chorando durante o banho, tente dar banho nele no chuveiro, pro Yuri  deu muito certo, mais firminho, agora com 3 meses, começou até a brincar na água e sai do banho abrindo a boca de sono.

Quando você descobre o que é ser pai e mãe?

Essa semana descobrimos o significado da palavra pais.

Muitos podem pensar que esse sentimento vem ali no momento do nascimento, com o primeiro chorinho, ou então com o primeiro sorriso, mas não.

O Yuri passou por período de intestino preso, ele nem ficou tãooooo incomodado com isso, mas nós pais de primeira viajem ficamos desesperados. Eu já havia lido que é comum isso acontecer com bebês pequenos, de ficar 3, 5 e até 7 dias sem fazer cocô, mas muito diferente quando acontece com a gente.

Depois de 4 dias fazendo massagens, exercício com as perninhas, banhos relaxantes, aquecendo a barriguinha, ele fez, nem foi muito, quando o Caio chegou contei pra ele, nós ficamos tão felizes, mas tão felizes, que nem da pra explicar.

Nos dias seguinte nada, de novo, e hoje depois de por em dia as vacinas, durante um soninho da tarde, fez de novo, um montão, como estou feliz.

Sei que esse papo é bizarro mas é pra isso que criei o blog. 🙂

 a paz que veio depois .

Vacinando

Ontem foi dia de vacinação contra a paralisia infantil. Depois de descobrirmos onde ficava o bendito posto de saúde ao qual temos direito (os postos são distribuídos de acordo com o bairro e rua que a pessoa mora), levamos os pequeno pra tomar suas primeiras gotinhas e a 2ª vacina contra hepatite B (1ª ao nascer, 2ª com um mês e a 3ª com dois meses).

               

E pra completar o dia uma foto com o Zé gotinha pra guardar de recordação, e pra te fazer passar vergonha quando for mais velho filhote.

Dia dos namorados em família

Já passeamos por muitos lugares nesse 1  mês do bebê: Joanópolis, Sorocaba, Extrema, mas ainda não havíamos passeado aqui em Sampa e nem só os 3.

Aproveitamos o domingo pra dar uma volta, foi um drama pra por o sling no Caio, sou virginiana, paranoica por perfeição (com algumas coisas apenas), era uma tal de: ta torto aqui, ta solto, ta apertado, não to gostando do jeito que esse negócio tá, puxa daqui, solta ali, até que deu, saímos de casa.

Decidimos ir até o Parque Trianon (cantinho remanescente de Mata Atlântica no centro de Sampa) para vistoriar os parquinhos, em alguns meses o Yuri irá brincar lá. Estava cheio de crianças nos parquinhos, uma delícia de se ver, fiquei imaginando ele sentado na areia fazendo castelinhos…

Papai slingando / Foto: Aline Badari

Família / Foto: Aline Badari

Já estávamos a uns dias conversando sobre como estimular o Yuri, depois de pesquisar na internet, decidimos ver a carinha  dos livros, no fim da tarde fomos até  a Livraria Cultura. Pegamos alguns livros, sentamos na área infantil, colocamos o bebê deitado num travesseiro e começamos a ler. Meu filhote fez o maior sucesso, todo mundo que passava parava pra dar um olhadinha e exclamar: “Ai que lindinho!”. Teve até uma menininha, de uns 2 anos, que não desgrudava da gente, fingia que tirava foto dele e ficava trazendo livrinhos pra gente ver, uma fofa, a mãe dela só olhava de longe.

Livraria Cultura / Foto: Caio Buni

Livraria Cultura / Foto: Caio Buni

Foi um maravilhoso domingo em família.

Festa de desaniversário

Bebê completou 1 mês, por isso fizemos uma festa de desaniversário, vocês assistiram Alice nos pais das maravilhas? me refiro aquela animação da Disney, não lembro se no filme tinha isso. Só pode ter um aniversário no ano, mas pode ter 364 desaniversários, então:

“Um bom desaniversário, pra mim, sim, sim!

Um bom desaniversário,  pra ti, sim, sim!”

Foto: Caio Buni

Foto: Caio Buni