Feliz Natal com o Yuri Noel

 

Anúncios

Introdução alimentar: Sucos

Por 15 meses nós fomos um só. Eu já fui seu único alimento e seu ar, é muita responsabilidade. Agora acabou, vem a próxima fase.

Combinamos com seu pediatra de levar a amamentação exclusiva o máximo possível, na sua última consulta você estava com quase 7 meses (faltava apenas uma semana) e como eu percebi que as vezes a noite não tinha muito leite, decidimos que você começaria a tomar sucos.

Uma vez, quando você estava com 5 meses, eu cheguei a chorar por ter que te dar uma mamadeira de leite de caixinha. Entenda, você não parava de chorar, foi à noite,  estava te colocando pra dormir e sentia que não estava com muito leite, e mesmo depois de mamar os dois peitos você continuava a chorar e não se acalmava pra dormir. Depois de uma longa conversa com seu pai pra decidirmos o que fazer, fui até a geladeira peguei o leite, esquentei 50 ml e te dei aos prantos.

Depois descobri que quando as mamães voltam a menstruar é normal o leite diminuir um pouco durante o período menstrual, que era o caso. Mas mesmo assim, ver você tomando aquela mamadeira com gosto e em seguida virar pro lado e dormir a noite toda, doeu na minha alma. Comecei a comer melhor do que eu já comia, a tomar muita água, tomar levedura de cerveja (que dizer que é bom pra aumentar o leite), tomar chá de hortelã durante o período menstrual (segundo a sua vó Silvana é bom também), tudo o possível para aquela situação não se repetir e eu aguentar até os 7 meses como eu havia planejado.

Hoje é normal você tomar uma mamadeira de uns 150 ml de leite à noite, mas ainda não é fácil pra mim,  porém eu entendo que suas necessidades estão aumentando e que você não pode ficar coladinho no meu peito o tempo todo, mas é tão bom…

Começamos a introdução alimentar com sucos, pelo que sei a maioria começa direto com as papinhas de fruta, mas eu e  o seu pai ( e o pediatra também) concordamos que o melhor eram os sucos, até hoje você só havia tomado líquidos assim seria mais natural e você amou.

O primeiro foi um suquinho de mamão, depois laranja bahia, banana  prata, maçã fuji, pera, goiaba vermelha, morango, abacaxi pérola, melancia e pêssego. Você simplesmente adorou todossssss, o pedi disse pra ir aumentando as doses gradualmente até você deixar resto, mas quando tira a mamadeira de você, era um berreiro só. Começou com 20 ml e hoje você toma fácil 175 ml.

Suco de mamão

o Linux também quer…
 
 

Te esperando

Continuando o post: 1 ano de concepção, no qual contei uma parte de como te descobrimos, pra finalizar estou repostando umas publicações que fiz sobre o assunto de um outro blog que eu tinha.
Grávida, eu?

Confesso que não foi uma notícia fácil de entender, muito mais por que achava que essa hora demoraria mais pra acontecer, de alguma forma, tinha me convencido de que seria a velha dos gatos, rs.
Não te senti os dois primeiros meses, se não fosse uma bruxa nem desconfiaria. Deixa eu explicar essa história: sua vó Silvana tem uma amiga bruxa que foi visitar, ela estava abrindo as catas e foi ver como estava a vida dos filhos, e diz: “Nossa, quanta carta de maternidade”; sua vó na hora perguntou pra quem, se era para o Otávio e pra Ceci (que vivia falando que queria outro filho), e a bruxa responde que não. Então para o Pedro e pra Fernanda (que estavam pra ir morar junto), mas eu sempre fui a última opção, já que sempre disse que que não ia ter filhos, mas a mulher diz: “é pro Caio e pra Aline, e ela já não esta grávida não?!”, minha sogra: “Aline, imagina, ela toma remédio, se cuida” e a bruxa termina assim: ” então fala pra ela se cuidar mais, eu engravidei dos meus dois filhos tomando remédio”.
Quando ela me contou isso gelei, mas tudo estava normal, era só redobrar os cuidados. Isso era começo de outubro, no fim do mês, seu pai viajou por uma semana, nunca passei tão mal na minha vida, tontura, enjôo e os terríveis vômitos; pensei que devia ser ansiedade por ficar sozinha, não estava comendo direito e em novembro menstruei de novo, pouco, mas menstruei, como podia estar grávida?
Novembro é dos piores meses do ano pra gente na faculdade, é prova, trabalho, ficou tensa, nem percebi quando em dezembro não menstruei, só pensei no assunto quando entrei de férias, dai lembrei da bruxa e fiquei nervosa.
Como você conta uma coisa dessa pro namorado, depois de muita enrolação, falei! Imagina uma pessoa tranqüila, esse é o seu pai, só disse pra fazermos o teste de farmácia pra dai pensar no assunto, e adivinha o que deu: POSITIVO, dai depois de uma longa conversa de 5 horas, tudo estava certo, já havíamos feitos planos para o futuro e escolhido teu nome: Yuri.
Ele cansado, conseguiu virar pro lado e dormir, eu passei a noite na internet só consegui dormir depois das 7 da manhã.
Era dia 19/12, combinamos de contar pra todo mundo no natal, quando fôssemos para casa dos nosso pais em Joanópolis.

Pedro e o Lobo

Sabe a história do Pedro e o lobo? aquele menino que ficava gritando: “lobo, lobo, lobo” e era mentira até que um dia o lobo apareceu ninguém acreditou e ele foi comido.
Então, ao contar que eu estava grávida parecia essa história e eu era o Pedro, ninguém acreditava em mim, vê se pode bebê?
Esta certo que em família sou meio brincalhona, mas nunca fui mentirosa, nem no truco eu blefo. Nem minha mãe, sua vó Shirley, acreditou em mim.
Eu precisava desabafar com alguém, então contei para as minhas melhores amigas (pra tia Aline e pra Madrinha Jé), o teu pai fez o mesmo, estávamos empatados até então.
Chegamos em Joa pela manhã do dia 24/12, combinamos de levar minha mãe pro trabalho e durante o trajeto contar, enrolei, enrolei e contei, e ela não acreditou, teve que seu pai confirmar. Pra sua vó Silvana, seu pai que contou, acreditou na hora. Era a vez do meu pai e minha avó, nenhum acreditou, teve que seu pai confirmar. Seu tio Pedro foi o mais engraçado, me ligou pois não estava conseguindo falar com seu pai, que havia deixado uma mensagem pra ligar, e quando contei foi uns 10 minutos de:”verdade?” – eu: “sim!” – ele: “não! verdade?” – eu: “sim!” – ele: “não! verdade?”, e assim vai, teve que sua vó confirmar. Pode?
Não contei pra mais ninguém também, e ao contrário de mim, teu pai contou pra metade da cidade, considerando que Joa é um ovo, foi metade mesmo. A pessoa mais empolgado foi o tio Fabio, seu pai já tinha contado quando eu o encontrei, ele pulava de alegria.
O natal foi mais divertido por causa disso.

Confirmadissímo…

Pra ter completa certeza, logo depois do natal, fomos procurar uma clínica pra fazer teste sanguíneo, só conseguimos em Atibaia, 20 minutos depois de tirar sangue, POSITIVO. Mas, vamos combinar que, fazer um exame de sangue não é o suficiente pra você acreditar que está grávida. Eu pelo menos precisava de mais que isso, mas fim de ano nada esta aberto, se já foi difícil achar um laboratório pra fazer o exame de sangue, quem dera fazer um ultrasson.
Depois do Ano Novo, passamos um dia inteiro ligando pra todos os lugares possíveis na região, só no dia seguinte conseguimos marcar um ultrasson. Ultrasson marcado, fomos te ver, logo de cara o médico já disse: “Quer saber o que é?”… era verdade! …”é um menino”, que era um menino eu já sabia, mas que estava realmente grávida era uma dúvida, como pode? Naquele dia vi o contorno do seu minusculo corpinho, seu úmero, seu femur e seu coração pulsando vigorosamente. Bem, confirmado estava, você existia, hora de procurar um pré natal.

Sobre o pré natal e a sua chegada conto depois.

Desaniversário 4 meses

Como pode o tempo passar tão rápido? você já esta fazendo 4 meses filhote.

Só posso te dizer uma coisa: a cada dia que passa mais te amo. Você esta tão lindo, tão forte, só quer saber de ficar em pé.

Você simplesmente acordou pro mundo  a sua volta, no carro já não dorme o tempo todo, quando saímos de sling  você fica observando o mundo, em casa fica boa parte do dia acordado falando seus ahhhhhhhh, ehhhhh, ahehhhhhhh, ohhhhhhhhh, guahhhhhhhhh.

É só seu pai e eu começarmos a conversar que você começa a tagarelar, parece que quer participar de tudo, como você fala, to até vendo o que me espera.

Pra comemorar seus 4 meses aproveitamos o almoço na casa dos seus tios Otavio e Ceci e dos priminhos Cesar e o bebezinho que esta na barriga da tia; estavam lá também sua vó Sivana e o Tio Pedro.

“Um bom desaniversário, pra mim, sim, sim!

Um bom desaniversário,  pra ti, sim, sim!”

1 ano de concepção

Hoje é aniversário da mamãe, 23 aninhos, uma garotinha ainda, rs.

Nesse mesmo dia do ano passado você começou a surgir, um pedacinho do seu papai se juntou a um pedacinho meu e aos pouquinhos vc foi ganhando forma, crescendo, crescendo, até eu te descobrir. Por meses eu nem imaginei que vc esta ali na minha barriga, tudo parecia tão normal.

Aos poucos vc descobrirá que sua mamãe não é muito igual as outras, sou um pouco estranha, não gosto muito do comum, então como poderia ter uma gravidez tradicional. O normal é passar os 3 primeiros meses vomitando, com tonturas, algumas com desmaios, mas eu não tive nada disso.

Só passei mal uma vez, no final de outubro de 2010, vomitei, mas eu estava com um medinho de ficar sozinha, seu pai tinha ido viajar, ficou fora uma semana e eu não conseguia falar com ele; sozinha em casa só comi besteira, nem era motivo suficiente pra suspeitar de você, mas uma amiga da mamãe pensou nisso, a Bia, sabe aquela loira bonita que vc vê todo mês no MAC depois de passar no médico, ela falou que podia ser vc, mas não acreditei.

Com as provas de fim de ano chegando, trabalhos pra entregar, trabalhar no museu, fiquei com a cabeça tão cheia que nem suspeitei de nada, só quando tudo se acalmou, esta de férias da facul e do trabalho é que me dei conta que talvez vc pudesse estar na minha barriga. Falei pro seu pai que calmamente me levou pra comprar um teste, voltamos pra casa, fiz, e lá estavam os 2 tracinhos confirmando sua presença, conversamos por 5 horas, desde o que fazer no dia seguinte, até os seus 15 anos, brincadeira.

Uma coisa eu tinha certeza desde que os dois tracinhos apareceram, você seria muito amado, seria um menino e se chamaria Yuri.

Banhinho é bom

Banho em bebês e crianças, pra mim, era sinonimo de choro e desespero.

Pelo menos era a experiência que tive, na minha família não tinha crianças pequenas pra eu conviver diariamente, só nos últimos anos é que as crianças começaram a aparecer. Nunca havia pego um bebê no colo, pelo menos, não um com menos de 1 ano; quando meu primeiro sobrinho nasceu (à 4 anos) só brincava com ele deitado na cama, pegar no colo mesmo só depois dos 3 meses, mas nunca acompanhei banhos.

Já com o segundo, com dois anos hoje, as coisas foram bem diferentes, fui a primeira a pega-lo no colo ainda na maternidade, ajudei nas primeiras semanas fazendo de tudo, como sempre digo estava fazendo um estágio e nem sabia, cheguei a dar banhos nele mas sempre foram a base de muito choro e ainda hoje é assim.

Quando o Yuri nasceu, ainda na maternidade, dei seu primeiro banho, e como o menino chorou, nos dias que se seguiram não foi diferente, em casa a mesma coisa, choro, choro, e mais choro. Todo mundo dizia que é assim mesmo, as vezes acostuma e para de chorar, as vezes não. Tanto pra mim, como para o pai dele, banho é algo prazeroso; eu passava um bom tempo no chuveiro durante a gravidez só deixando a água cair na barriga, queria que ele curtisse esse momento tanto quanto nós.

Possivelmente o banho de balde ajudasse nisso, mas ele era tão pequenino e estava tão friu que não tivemos coragem, além do mais nunca concordei com banhos rápidos em bebês e devido ao clima não tinha como ser diferente. Já havia lido e ouvido que algumas pessoas davam banho no chuveiro, com o serzinho no colo, naquele momento valia tudo pra ele relaxar mais.

Levei ele pro pai durante seu banho, ele ainda cabia apoiado no antebraço do Caio, que o colocou em baixo da água e… nada de choro, mal dava pra acreditar ele curtiu na hora, no fim do banho o Caio me chamou, peguei, sequei e dei mama, nos dias seguintes fizemos o mesmo processo, pra ter certeza que não era sorte de principiante, e confirmamos que o negócio tinha dado certo. Tomei coragem e passei a dar banhos assim também, dava um medinho de escorregar, passamos a revezar. concluímos que ele se sente mais acolhido, menos inseguro e relaxa.

Quando o Caio não esta em casa e ele precisa tomar banho (por que se sujou muito), dou na banheira mesmo, mas hoje ele curte tanto o banho que não chora mais, pode ser no colo, na banheira, na bacia, onde for. Com o passar do tempo descobrimos que o melhor horário é a noite, entre 22 e 23 horas, toma seu banho, mama e dorme, se necessário toma outro durante o dia.

Por isso recomendo, não quer que seu filho fique chorando durante o banho, tente dar banho nele no chuveiro, pro Yuri  deu muito certo, mais firminho, agora com 3 meses, começou até a brincar na água e sai do banho abrindo a boca de sono.

Desaniversário 3 meses

Esse desaniversário foi muito especial, uma grande amiga da mamãe veio te conhecer e trouxe o bolo.

Pena que vc ainda não come pois estava uma delícia, bem que eu vi seu olhar desejoso pro bolo da Tia Mel, mas ainda não é hora, mas sei que comi tanto que vc deve ter dado uma provadinha no leite.

“Um bom desaniversário, pra mim, sim, sim!

Um bom desaniversário,  pra ti, sim, sim!”


Entradas Mais Antigas Anteriores